Este fórum tem como objetivo principal proporcionar a interação entre as pessoas interessadas, com vista ao que diz respeito à área de Biomedicina e Ciências Biológicas. Bem como divulgar, trocar experiências,propor mudanças, emfim o que a imaginação e criatividades dos interessados permitir sobre os diversos assuntos que aqui irão ser tratados.

Tags: medicina
12/04/2006 18:23
De: tarsisio
IP: 200.254.38.133-

Biomedcina!!

Grade Curricular

Curso de Biomedicina
Disciplinas - 1ª Série
Carga Horária

Anatomia Humana I 152
Citologia / Histologia I 152
Elem.de Bioquímica (Quím.Org./Estrutura Bioquímica) 76
Física 76
Imunologia I 76
Língua Portuguesa 76
Matemática Aplicada e Bioestatística 152
Microbiologia I 76
Parasitologia I (Zoologia Aplicada à Parasitologia) 76
Química Geral 266
Educação Física 76
Disciplinas - 2ª Série
Carga Horária

Anatomia Humana II 152
Biofísica 114
Bioquímica 266
Citologia/Histologia II 114
Embriologia  76
Ecologia e Evolução 76
Fisiologia Geral 114
Físico-Química 76
Genética 114
Fisiologia Humana 152
Química Analítica 76
Disciplinas - 3ª Série
Carga Horária

Análise Ambiental 76
Farmacologia 152
Imunologia II 152
Laboratório Clínico 76
Microbiologia II 266
Micologia 76
Patologia Humana e Anatomia Patológica 190
Parasitologia II 152
Saúde Pública 76
Virologia 76
Disciplinas - 4ª Série
Carga Horária

Patologia Clínica (Bioquímica Médica) 90
Patologia Clínica (Hematologia Médica) 90
Patologia Clínica (Ambulatório Médico/Controle Qualidade) 90
Patologia Clínica (Micologia) 90
Patologia Clínica (Líquidos Corporais) 90
Patologia Clínica (Microbiologia Médica) 90
Patologia Clínica (Parasitologia Médica) 90
Patologia Clínica (Imunologia Médica) 90
Estágio Supervisionado: 1200 horas
Total da Carga Horária: 4596 horas/aula
   
29/07/2005 15:33
De: Rômulo Araújo (araujoromulo@gmail.com)
IP: 200.217.60.102-

Mais sobre Bioética

Desde os primórdios de seu desenvolvimento, a Bioética, enquanto disciplina, tem se abstraído das responsabilidades sociais, valorizando a discussão sobre situações relativas ao impacto da tecnologia médica na vida humana e, mais recentemente, às conseqüências dos avanços da genética.
Tal fato tem resultado na construção de uma Bioética focada principalmente na autonomia individual, que marginaliza questões éticas atinentes ao âmbito da coletividade. Sobretudo os adeptos do modelo principialista da Bioética, originário e prevalente nos USA, privilegiam o princípio da Autonomia individual – desconsiderando o princípio da Justiça.

Em parte, isto se deve à influência inicial da Bioética exercida pelo Joseph and Rose Kennedy Institute for the Study of Human Reproduction and Bioethics, Washington, DC, fundado por André Hellegers. O instituto orientou a Bioética com base em temas freqüentemente relacionados aos aspectos biológicos e médicos, introduzindo o termo “Bioética” como disciplina acadêmica. Se, por um lado, tal atitude favoreceu a divulgação do termo, por outro, possibilitou certa identificação e mesmo “confusão” com “ética médica”.
Assim, ocorreu uma restrição de seu uso ao campo biomédico, contrariando as motivações originais de Van R. Potter, relacionadas a uma bioética global e voltada ao social.
Esta noção é referendada pelo bioeticista italiano Giovanni Berlinguer (1996), ao lembrar-nos de que as situações-limite têm sido constantes nas reflexões bioéticas, negligenciando-se os problemas de ordem ética que envolvem a maioria das pessoas em sua vida cotidiana.
Albert Jonsen enfatiza que quase todas as filosofias morais sérias colocam a vida humana em seu contexto social e, por isso, caberia à Bioética formular questões e respostas sobre as relações entre os indivíduos e a coletividade, que conduzam em direção a uma bioética social.
Todavia, considera que a construção de tal raciocínio constitui-se em um obstáculo em si mesma, dada as incertezas sobre a definição e escopo da “Bioética” – ainda que as relações entre ética, política, interesses individuais e coletivos apareçam desde os primórdios da reflexão ética ocidental, no pensamento de Platão e Aristóteles.
O autor propõe, então, o desenvolvimento de uma “Bioética urbana”, de modo a tratar dos casos incidentes na vida da cidade, incorporando sua natureza sociológica e psicológica. Afirma que ainda inexistem sistemas éticos adaptados a peculiaridades da vida urbana, já que esta traz indagações éticas bastante diferenciadas das que ocorrem na vida rural, favorecendo, segundo ele, o princípio da Autonomia individual, valorizado pela conformação cultural norte-americana.
Considerando a existência de um ambiente de relações entre “estranhos”, uma Bioética urbana poderá tratar dos casos ocorridos nas cidades de maneira mais adequada. Para corroborar essa assertiva, discorre sobre as diferenças da evolução da epidemia da Aids e as medidas tomadas para combatê-la em duas grandes cidades norte-americanas – Nova Iorque e São Francisco.
Para nós, brasileiros interessados em Bioética, é importante refletir sobre o alerta do professor Jonsen acerca do distanciamento entre a Bioética e os problemas relacionados à coletividade. Essa preocupação é compartilhada por vários bioeticistas pátrios – o que, felizmente, é demonstrado pelo desenvolvimento de extensa produção científica, em especial, nos anos 90.
20/08/2005 10:31
De: Tarsisio Melo Araujo (tarsisio_meloaraujo@yahoo.com.br)
IP: 200.223.143.162-192.168.40.69

Biomedicina 2° semestre

Não tenho muito conhecimento sobre isto, mas é lógico por demais: Como o MEC aprovara um curso onde um determinado semesre pega 15 disciplinas?! Espero que não tenhamos um congestionamento de provas e que os conteúdos sejam assimilados.Lembrando,nâo sei da quantidade máxima  de matérias permitidas.Será que ocordenador do curso poderia nos explicar isso, além de o porque não dividí- entre os outros semestres posteriores.Será que teremos mais 15 no semestre que vem? alguém pode dar uma palavra sobre isso?
02/09/2005 19:41
De: Francisco Rafael
IP: 200.223.143.162-192.168.40.33

E-mail deletado

Seja la quem foi q apagou esse e-mail de anatomia....deveria ser um pouco menos egocentrico e pensar mais um pouco no proximo....pois o nosso curso exige q trabalhemos em grupo e sempre em harmonia, portanto pra esse individuo q apagou esse e-mail acho importante q ele repense os seus valores e reflita sobre a idiotice q cometeu....então é isso ae....vamos nos concentrar estamos estudando n brincando.
Um abraço pra todos
12/04/2006 17:52
De: tarsisio (biosimbiose@yahoo.com.br)
IP: 200.254.38.133-

DIVULGAçãO CIENTíFICA: Óculos para escutar melhor



Agência FAPESP Divulgando a cultura científica
12/04/2006  

 

 
 
Microfones estão escondidos nas hastes dos óculos
Divulgação Científica
Óculos para escutar melhor
12/04/2006
Agência FAPESP - Agora já é possível ver a seguinte cena: pessoas com deficiência de audição colocando os óculos para escutar melhor. Isso por causa de um novo produto auditivo, desenvolvido na Holanda. O projeto, que já está pronto para entrar em escala comercial, é fruto de uma parceria entre a Universidade Delft e várias companhias holandesas.
Para ter um equipamento auditivo mais potente, e que consiga filtrar melhor os ruídos de um ambiente com muitas pessoas falando ao mesmo tempo, os pesquisadores desenvolveram uma aparelhagem que é formada por quatro pequenos microfones. Todos interligados.
Para esconder tudo isso e, segundo os autores do projeto, por uma questão de estética também, em relação aos aparelhos atuais, optou-se pela construção de um óculos. A aparelhagem passou a ficar escondida nas hastes do objeto usado normalmente para ter uma visão melhor.
Em termos técnicos, o novo equipamento tem uma sensibilidade direcional da ordem de 8.2 decibéis. Os equipamentos auditivos tradicionais apresentam apenas 4.2 dB, segundo os pesquisadores da Holanda. Para os responsáveis pelo desenvolvimento do novo produto, aquele tradicional problema das pessoas com alguma deficiência auditiva - elas normalmente não conseguem reconhecer de onde vem a voz da pessoa que está falando – está, agora, resolvido.
As estatísticas holandesas mostram que existem hoje no país 1,2 milhão de pessoas acima dos 60 anos com algum tipo de problema auditivo. Desse total, 22% usam os aparelhos auditivos tradicionais. E muitas delas, por dificuldade em ficar confortáveis em lugares públicos com muitas pessoas, deixam de ter um convívio social normal.

Imprimir esta notícia        Enviar por e-mail
 
  Anteriores
 

 
Assine o boletim da AGÊNCIA FAPESP
Indique a Agência FAPESP a amigos
Atualize seu cadastro ou cancele o recebimento do boletim
agencia@fapesp.br


05/05/2006 15:45
De: adriano santos (adrianopage@hotmail.com)
IP: 201.50.219.188-

Re: Biomedcina!!

tenho 22 anos sofri 1 acidente e perdi os movimentos do braço esquerdo vou fazer cirurgia p/ recuperar alguns movimentos.
Eu posso exercer essa profissão?
obrigado.
11/04/2005 12:50
De: ROMULO (genteboa@walla.com.br)
IP: 200.217.60.55-

BIOÉTICA

BIOÉTICA NO BRASIL

A revolução científica que transcorre em nossos dias traz consigo uma mudança tão radical nos conceitos e técnicas aplicados sobre a natureza que só pode ser comparada – e quem sabe mal comparada – ao nascimento da ciência moderna no século XVII ou ao aparecimento da física quântica nas primeiras décadas do século XX.
Nas ciências da vida as transformações assumem um ritmo vertiginoso: há cinqüenta anos a identidade química do material genético era desconhecida; hoje, a biologia molecular evoluiu de maneira inacreditável, desvendando os segredos do DNA e possibilitando a transferência e a manipulação de genes, com suas decorrências nem sempre previsíveis. O número de sequências de DNA analisadas se duplica a cada dois anos, abrindo caminho para uma cartografia acurada do código genético e, daí, a práticas até pouco tempo reservadas às histórias de ficção científica.
De súbito a humanidade se depara, surpresa e atemorizada, com uma problemática inédita em sua experiência histórica; a complexidade dos problemas envolvidos, sua incidência material e ideológica na existência do homem, as repercussões de toda ordem – econômicas, clínicas, psíquicas, filosóficas – que acarretam, tudo isto exige um enfoque multidisciplinar para discuti-los de maneira séria e criativa. É o que este livro pretende, reunindo contribuições provenientes da medicina, da história da ciência. da filosofia, da psicanálise, do direito, da geografia e de outros campos em textos que por sua vez são frutos de uma série de debates sobre o assunto que envolveram um notável grupo de pesquisadores, professores e clínicos nele implicados.
O que acham? estou aberto às disposições contrárias e ou aceitações e complementações.
05/05/2006 19:30
De: tarsisio.
IP: 200.223.143.162-10.71.201.82, 1

Re: Re: Biomedcina!!- adriano

olá Adriano,

 O FATO DE  VC TER PERDIDO ALGUNS, OU QUASE TODOS OU  ATÉ MESMO TODOS OS MOVIMENTOS DO BRAÇO NÃO LHE EXCLUE DE EXERCER A PROFISSÃO DE BIOMÉDICO. O BIOMÉDICO É O PROFISSIONAL QUE SE DEDICA AO CONHECIMENTO  E ESTRUTURA DO ORGANISMO EM ESPECIAL DOS HUMANOS BEM COMO AOS MECANISMOS CAUSAIS DE DOENÇAS ,  ANÁLISES  AMBIENTAIS , BROMATOLÓGICAS, ANÁLISES EM PERITO CRIMINAL ATRAVÉS DE EXAMES DE DNA, ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS , PESQUISA APLICADA E BÁSICA,BIOEMAGENS,E VÁRIAS OPÇÔES. EMBORA SEJA UMA ÁREA QUE EXIJA UM POUCO DE CORDENAÇÃO , NÃO VEJO O PORQUE VC , MEU CARO NÃO SER PRATICANTE TE UMA ÁREA TÃO INTERESANTE E PRECISA QUE A BIOMEDICINA.
Seu IP: 18.204.55.168 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)