Este fórum visa trocar experiências sobre a auto-hemoterapia. Se vc já fez ou está fazendo AH relate aqui os seus resultados. A divulgação dessas experiências é que irá tornar esse tratamento mais confiável, já que a AH é muito criticada pelos médicos tradicionais, por falta de resultados consistentes e por não existirem pesquisas cientificas que comprovem a sua eficácia. Aliás, será que existe interesse deles nessa terapia tão barata? Portanto, os resultados consistentes de que os médicos tanto necessitam para prescrever esse tratamento poderá ser obtido neste fórum, através de cada relato, o que espero seja sempre positivo. Entretanto, é muito importante deixar claro que não prescrevemos o tratamento de auto hemoterapia a ninguem porquanto não somos médicos. Repita-se, este fóroum visa apenas a troca de experiências de pessoas que estão se submetendo a esta terapia, seja por opção própria, seja por prescrição de alguém. Muitas pessoas perguntam se a auto hemoterapia serve para as doenças que lhes acometem, as quais são imensamente variadas. As resposta a essas perguntas são dadas por pessoas que já estão se submetendo ou por pessoas que assistiram ao vídeo do Dr. Luiz Moura e, daí, respondem às dúvidas aqui apostadas. Porém, tenham em mente que estas respostas não sao dadas por um médico, devendo ser recebidas apenas como troca de informação e jamais como uma real prescrição médica. . .........................................................................................................................................................................................................................................OBS>>> ESTE FÓRUM FOI CONFIGURADO PELO ADMINISTRADOR DE FORMA QUE TODAS AS MENSAGENS SEJAM APROVADAS AUTOMATICAMENTE. QUANDO ELAS FICAM AGUARDANDO A APROVAÇÃO, É POR PROBLEMA DE MAU FUNCIONAMENTO DO SITE E NÃO POR VONTADE DO ADMINISTRADOR.

Tags: autohemoterapia
14/11/2007 11:16
De: marco henrique
IP: 201.58.213.234

AH para lupos ou dermatomiosite ( doenças auto imunes)

Bom dia! Minha mãe parece estar com uma doênça auto-imune. Por favor será que alguém poderia me explicar como a AH pode ser favorável para seu caso. Uma vez que a técnica aumenta a capacidade do sistema imunológico, justo ele que está, por uma falha de interpretação agindo contra o próprio organismo ?  Minha dúvida é, isto não aumentaria ainda mais o problema ?
  Desde já agradeço a boa vontade de todos.
         Marco henrique
14/11/2008 13:55
De: Sónia Alexandra (soniaoliveira.tagide@iol.pt)
IP: 81.193.211.24

Autoimunohemoterapia

Estou a tirar um curso e pediram-me para escrever um artigo sobre autoimunohemoterapia inserido no tema "medicinas alernativas", será que me podem ajudar? o que é, pra que serve, onde é utilizado, custos? Obrigado
12/11/2007 10:07
De: Ana Alice Biedzicki de Marques
IP: 200.181.80.217

Re: Hipotireoidismo e aborto espontâneo

Olá,
tenho 41 anos e em processo de sofrer um aborto espontâneo (com aprox. 4 semanas de gestação). Minha obstetra fez essa previsão devido a taxas seriadas de redução do HCG. Também verifiquei, em exame pré-natal, que meu TSH está 7.68 uUI/mL. Há relação direta entre a hipoglicenia e o aborto? Desde já agradeço.
Ana
21/12/2007 13:07
De: karlak
IP: 201.34.131.81

Re: O pós-condenação do Dr. Luiz Moura

JMK,
Peça pro farmacêutico te ensinar a fazer as aplicações, ou aprenda com algum enfermeiro.
Como não deixaram alternativas, o caminho mais certo e fácil e ganharmos proeficiência naquilo que queremos para nós, aconselho a todos que façam que aprendam, não é difícil seguir as regras básicas, controlar o emocional demora um pouco mais, mas nada que não se vença.
Outra alternativa é procurar a Justiça, Fóruns, etc e se informar do que é possível fazer pra continuar recebendo o tratamento, uma coisa é certa, se nós mesmos não irmos atrás disso, ninguém irá por nós, e ficar "chorando o leite derramado" não nos levará a lugar algum.
vc mora aonde? se for perto e quiser posso te ensinar.
06/03/2009 13:03
De: Olivares
IP: 200.20.24.250

Re: Re: Informação Sobre O Dr. Luis Moura

O Dr. Moura  não usa a internet. De qualquer forma pode procurá-lo em seu consultório.
Consultório do Dr. Luiz Moura : Rua: Conde de Bonfin, 377, sala 803, Tijuca, RJ
(perto do metrô Saenz Peña). Tel: (0xx21) 2572-5902 - (0xx21)
8817-6012: Janilda (secretária)
Sobre dificuldade em encontrar quem aplique: caso não consiga um pelos anúncios de jornal, que deverá publicar contratando enfermeiro gabaritado, tente contratar um enfermeiro que ENSINE a fazer uma extração de sangue e uma injeção comum, intramuscular... Assim fica mais fácil se fizer em casa, entre parentes. Exija sempre as qualificações do profissional que contratar, seja para aplicar, seja para ensinar. Espertalhões, golpistas e aproveitadores existem aos borbotões...
04/05/2007 20:55
De: José Benevides Júnior (Fortaleza-Ce)
IP: 201.9.101.20

Sugestão!

Gostaria de sugerir ao moderador/coordenador deste fórum a criação de um cadastramento em espaço separado (para facilitar a leitura, e se possível catalogando por tipo de enfermidade tratada, em ordem alfabética) dos depoimentos sobre os benefícios alcançados através da utilização da AH, sem prejuízo de sua colocação entre as outras mensagens como ocorre atualmente. Recentemente fiz um levantamento de alguns depoimentos deste fórum, mas deu um trabalho danado, e olhe que foi referente a um período pequeno (de 23 a 27/04/2007). Ao misturar mensagens/opiniões diversas com os depoimentos, fica muito trabalhoso localizar uma mensagem relativa a um determinado problema que tenhamos interesse em ler depoimentos pessoais de cura.
Aproveito o ensejo para parabenizá-lo (s) pela iniciativa de criação deste espaço, pois um número incontável de pessoas está se beneficiando com as muitas informações aqui postadas, mesmo aquelas contrárias (o que é saudável, desde que sérias). É muito bom sabermos da existência de inúmeras pessoas que estão obtendo a cura e/ou amenizando os efeitos danosos de suas enfermidades, através do fortalecimento do seu sistema imunológico, fazendo com que o próprio organismo se torne capaz de enfrentar e vencer as doenças. Muito obrigado.
29/03/2009 12:26
De: Marcelo (fetha@ibest.com.br)
IP: 189.63.208.214

HEMOFILIA e AUTOHEMOTERAPIA

Alguém pode esclarecer esta dúvida? HEMOFILIA e AUTOHEMOTERAPIA:  
-
A busca no Google agora deu:  
Resultados 1 - 10 de aproximadamente 321 para hemofilia autohemoterapia (0,26 segundos)  
-
2009/3/29 marcos fernandes
-
Oi bom dia.  
Por gentileza, voce poderia me sclarecer algo: uma pessoa portadora de Hemofilia pode fazer hemoterapia? tenho muitas dúvidas, como se comportaria o sangue no músculo? devido o tempo de coagulação, poderia haver escorrimento de sangue pelos orifícios tanto da punção quanto da aplicação no músculo?  
Um grande abraço, a propósito, tive problemas com o PC e outras coisas mais, por isso ando meio sumido, tenho mais de trezentos para abrir e responder, mas continue me enviando os emails, pois eles são de enorme valia, ah! meu pai continua bem! graças a Deus e a hemo.Bom domingo irmão!  
marcus
20/11/2012 00:30
De: umbelina Santos
IP: 67.86.246.159

Re: Auto-hemoterapia cura câncer de pulmão, fígado, intestino, entre outros

hoje foi um dia triste ,para mim porque o DR.deu um diagnostico do meu marido que tem 66 anos  
imcompleto, vem de um quadro de longo tempo de muinta bebida ,e eis  ai disse o DR; que  ele estar com canser no figado ja bem avancado.ai eu assustei pensei que era outra coisa ,uma cirose  ou uma infecao, mais  ele terar que fazer mais um exame para ver qual e'o tipo e' que grau estar. Entao sair a pesquizar  o que pode ser feito,vamos lutar e ai encontrei ,esse documentario fabuloso. GOstaria de saber ,onde eu vou vou quem eu procuro gentileza me emviar iformacao por favor estou .anciosa para,  levalo as vezes podemos ter a mesma sorte quue todos tiveram.................  UM GRANDE
ABRACO    UMBELINA SANTOS;;;;;;;;;;;;;;;;;;
27/05/2008 20:02
De: JMK
IP: 201.67.173.98

Todos temos direitos iguais só que tem uns mais iguais que outros!!!

É por estas e outras mais descritas abaixo que os órgãos reguladores controladores e fiscalisadores não tem a minima credibilidade em nosso país, enquanto se monta algo de interesses por conta de dirigentes e governantes se desmantela terapias eficases no combate de varias doenças, pois chega-se a tal absurdo de distribuir camisinhas em orgãos públicos gratuítamente ( com cartazes metade em vermelho e a outra em azul, a parte em vermelho com uma camisinha com um garfo de satã e a parte em azul com uma auréola de anjo e azas de anjo com os dizeres: não importa de que lado você está use camisinha) isso aconteceu enquanto o Sr. José Serra era Ministro da saúde, isso é cultura informativa ou é uma apologia a promiscuidade, eu como adepto da auto hemoterapia tenho que fazer o procedimento as escondidas pois tenho a certeza de sua eficassia enquanto governantes e outros mais por puro interesse comercial ficam distribuido acessórios para drogados se drogarem dando seringas gratuitas para se drogarem com segurança, isso é um descalabro é ignorância cultural é ganancia e que se fo... a população carente porque enquato se distribui camisinha a indústria com seu comparsa de órgãos estão faturando o seu, enquanto distribui seringas para os drogados se drogarem as industrias fecham seus pacotes com os controladores da saúde faturarem o seu. A substituição de valores pelos governantes e dirigentes de órgãos que se rotulam como fiscalizadores e controladores no uso de suas atribuições bem remuneradas como soldo oficial e corupção por fora, é a unica explicação, pois neste país quem tem que se explicar é quem denúncia e o denunciado fica com a regalia de poder até processar o denunciante por calunia , difamação e danos morais é  parece piada mas vocês sabem que não é .


AUTOHEMOTERAPIA
29/04/2007

O médico baixou o nível
--- Walter Medeiros*
O presidente do Conselho Federal de Medicina, médico Edson Andrade, em entrevista ao FANTÁSTICO do domingo 22.04.2007 referiu-se a um colega de profissão de 82 anos chamando-o com ênfase de “picareta” e de “mau caráter”. Era uma reação raivosa à difusão da auto-hemoterapia, feita pelo Doutor Luís Moura, embora não exista nenhuma decisão dos órgãos de classe com o mínimo de solidez, condenando-o a nada. O presidente do órgão de classe dos médicos quis expor à execração pública um colega sob uma alegação mais tendenciosa ainda. Segundo ele, “muito provavelmente nós estamos no bojo de uma grande articulação de autobenefício e de esquema para auferir lucro em detrimento da saúde das pessoas”.
Cabe uma pergunta: não seria o contrário? O Dr. Luís Moura divulga uma técnica que não requer hospital, clínica, equipamentos sofisticados, remédios caros, o que certamente vai de encontro a quem tem articulações de autobenefício e esquemas para auferir lucros em detrimento da saúda das pessoas. Comprovando seu caráter, Dr. Luís Moura afirma que em nenhum caso aconselha o abandono do tratamento que as pessoas estiverem fazendo com seus médicos. Aliás, este assunto foi tratado na mesma matéria pelo presidente da Sociedade de Hematologia, Carlos Chiattone que, demonstrando desconhecer o teor do vídeo sobre auto-hemoterapia, faz tais conclusões, mais vulgares que o fato da técnica não estar ainda documentada cientificamente.
Mas a fila de detratores da auto-hemoterapia, formada apenas por pessoas que exercem cargos em entidades de classe ou instituições desavisadas e que, apesar disto, não se prepararam para debater o assunto, teve mais uma participação inusitada. A presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Dulce Bais, condena a auto-hemoterapia porque – prestemos bastante atenção à informação da representante dos enfermeiros: “há risco de abscessos e infecções generalizadas”. Esta frase dá para condenar a auto-hemoterapia? Se der, vamos suspender todos os tratamentos médicos e o trabalho de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, já que no ambiente onde eles trabalham existe sempre o risco de abscessos e infecções generalizadas. Aliás, o Presidente Tancredo Neves morreu depois de uma infecção generalizada e não consta que tenha feito uso de auto-hemoterapia.
Enquanto existe uma tentativa de desqualificar a técnica que o povo vem usando e comprovando sua eficiência e eficácia, a síntese da auto-hemoterapia é a seguinte; “a aplicação do próprio sangue estimula o sistema imunológico e combate várias doenças.” Perguntamos, objetivamente ao Presidente do Conselho Federal de Medicina, à Presidente do Conselho Federal de Enfermagem e ao Presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia: estimula o sistema imunológico ou não? Combate várias doenças ou não?
Essas entidades tão importantes para a saúde do povo brasileiro - pois aglutina os profissionais de medicina e enfermagem - precisam avaliar esta postura dos seus dirigentes. Como chamar de “picareta” e “mau caráter” um colega de profissão, como fez o senhor Edson Andrade diante das câmaras do FANTÁSTICO, e achar que está propugnando por dias melhores para a categoria médica? Onde fica o Código de Ética? Não é de se esperar que seja este o procedimento, de tão baixo nível, que os médicos queiram para a condução da sua entidade maior, o Conselho Federal de Medicina. Quanto à auto-hemoterapia, acho que está comprovada como técnica boa; falta apenas os cientistas colocarem no papel, para passar a ser permitida, utilizada e recomendada por muitos dos que hoje a proíbem.
*Walter Medeiros é jornalista.
AUTOHEMOTERAPIA
24/04/2007

"Fraude" forjada
--- Walter Medeiros*
O Brasil enveredou por um caminho triste, de banalização da violência e da criminalidade, que aos poucos vem ganhando espaço até nas instituições e na sociedade. A cada dia que passa o noticiário normal perde terreno para as notícias policiais, pois as informações sobre crimes estendem seus espaços no Jornal Nacional, Fantástico e tudo que é programa jornalístico. Mas no domingo, 22.04, a TV Globo superou toda banalização, ao tratar do assunto “Autohemoterapia”. A emissora passou a semana inteira divulgando uma chamada sobre uma terapia que está se popularizando e que para eles seria uma fraude.
Pois bem: assistimos a matéria completa e em nenhum momento foi apresentado qualquer elemento sério para caracterizar a autohemoterapia como “fraude”. No máximo uma mulher que dizia achar que poderia fazer mal, sem apresentar nenhum dado concreto. Ao contrário, o que se viu mesmo foi gente mostrando que faz a autohemoterapia e se dá bem e o próprio Secretário da Saúde de Olinda mostrando que a institucionalização da terapia existe, que faz uso e está patrocinando pesquisa a respeito, a despeito de reações de alguns Conselhos de Medicina.
Após o programa, foi realizado um Chat no site do Fantástico com o presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, que não conseguiu esclarecer nada nem apresentou nenhum argumento sério contra a autohemoterapia. Apenas deu continuidade a uma manifestação pública de uma série de atitudes anti-éticas de médicos contra o Doutor Luís Moura, pois ele é o defensor da técnica, é médico, mas ao invés de tratarem do assunto no Conselho de Medicina, estranhamente levaram o assunto para a televisão.
O presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, Carlos Chiattore, perguntado sobre os riscos da autohemoterapia, respondeu sem qualquer argumento que “Nós imaginamos as complicações...”. Entretanto, quando a pergunta dizia: “chegam-nos muitas informações de pessoas que foram beneficiadas pela prática da auto hemoterapia; tem, a SBHH, dados sobre casos que tiveram resultados desastrosos?”, aí ele confessa que não tem elementos científicos para comprovar. Ou seja, condena a técnica sem base científica, mas cobra a base científica para aprová-la.
Em outro momento, o Senhor Carlos Chiattore respondeu a um participante chamado Juninho que “Não há nenhuma comprovação.(sobre a técnica), Não sabemos os maleficios, não aprovamos esse procedimento.” Se ele não sabe de malefícios, como desaprovar o procedimento? Mais grave ainda, a pergunta de uma participante chamada Polly: “A auto-hemoterapia trouxe resultados. Por que a maioria da comunidade cientifica não foca as pesquisas nessa técnica? Isso abalaria a industria farmacêutica?”. Sem qualquer argumento, Carlos Chiattore simplesmente respondeu: “isso não faz o menor sentido.”
Depois de tudo isso, a impressão que fica é que não existem elementos para dizer que a autohemoterapia seria uma fraude e que a chamada que falava em “picaretagem” foi algo exagerado, resultado de alguma manifestação raivosa de quem criou essa impressão a respeito do assunto. Foi o que talvez possamos chamar de “fraude” forjada, mas que teve  um mérito, afinal, talvez dois: abrir o debate sobre o assunto e, queiram ou não, divulgar a técnica da autohemoterapia.
*Walter Medeiros é jornalista.
AUTOHEMOTERAPIA
28/11/2007

Parecer do CREMERJ é cheio de falhas
--- Walter Medeiros*
O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro aprovou um parecer em julho de 2006 que precisa ser analisado com mais atenção, pois trata-se de um arrazoado eivado de vieses, com o claro fim de condenar sem contraditório e sem argumentos a prática da Auto-hemoterapia. Referimo-nos ao PARECER CREMERJ Nº 165/2006, aprovado na Sessão Plenária de 17/07/2006, relatado pela Câmara Técnica de Hematologia e Hemoterapia do citado Conselho, em resposta a questionamento apresentado pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, através da Coordenação de Saúde da Comunidade. A sua ementa não apresenta nenhuma sintonia com os comentários, pois mistura duas grandezas diferentes para apresentar um parecer que jamais poderia ser aplicado aos dois casos, ou seja, trata a auto-hemoterapia junto com hetero-hemoterapia como se fossem duas práticas cientificamente iguais.
O erro começa pelo enunciado, que é o seguinte: QUESTÕES RELATIVAS À PRÁTICA DE HETERO E AUTO-HEMOTERAPIA. A partir dali, vem a EMENTA, que afirma: “A utilização da hetero e auto-hemoterapia como método terapêutico adjuvante para melhorar a imunidade e/ou para tratamento de doenças infecciosas, neoplásicas, alérgicas e outras não tem suporte científico e não obedece às condições estabelecidas para coleta e transfusão de sangue. Opina a Câmara Técnica de Hematologia e Hemoterapia do CREMERJ que este tipo de tratamento deveria ser proscrito, por colocar em risco a saúde dos pacientes que a ele se submetem, sem que se vislumbre qualquer possível efeito benéfico”.
Mais uma vez a auto-hemoterapia é tratada de forma vulgar e tendenciosa por um Conselho de Medicina, haja vista a falta de imparcialidade notória ao entregar tal assunto à Câmara Técnica de Hematologia e Hemoterapia. Em vista da gravidade do tema, o assunto poderia ter sido tratado pelo menos numa Câmara Mista. Além disso, afirma que a terapia “não tem suporte científico”, para concluir que “esse tipo de tratamento deveria ser proscrito”. Para aqueles pareceristas, só existe um caminho, se contraria seus interesses – a proscrição. Por quê não procurar saber se existe a possibilidade de comprovação científica do que é alegado pelos que defendem a auto-hemoterapia?
Mas tem algo mais chocante ainda. A ementa diz que a proscrição deve ocorrer “por colocar em risco a saúde dos pacientes que a ele se submetem, sem que se vislumbre qualquer possível efeito benéfico”. Ora, se não existe comprovação científica de que dá bons resultados, não deve haver também comprovação de que dá maus resultados; então, onde está comprovado que colocaria em risco a saúde dos pacientes? Da mesma forma que ao afirmarem que tal ocorreria “sem que se vislumbre qualquer possível efeito benéfico”, aonde foram buscar essa conclusão, já que não se apóiam em nenhum trabalho científico? Para condenar a terapia, exigem a ciência; mas para darem o parecer a ciência não é necessária. Ao contrário, vislumbra-se, sim, possíveis efeitos benéficos, bastando para isto tratar a proposta de auto-hemoterapia como estudo científico e partir para comprovar seus efeitos.
O Parecer explica que se refere a “Consulta encaminhada pela Secretaria Municipal de Saúde, através da Coordenação de Saúde da Comunidade, a qual solicita esclarecimentos acerca da prática de auto-hemoterapia. Expõe que um médico que atua em uma unidade de Programa de Saúde da Família da Prefeitura do Rio de Janeiro vem utilizando a auto-hemoterapia em vários pacientes. Preocupada com a saúde da população, a consulente vedou a utilização de tal terapia, o que causou a reação contrária do médico em questão, levando-o a mobilizar seus pacientes, Conselho Distrital de Saúde do local, entidades e pessoas físicas em geral, justificando que esta terapia não é proibida e que existem diversos artigos científicos a respeito, publicados em revistas médicas.”
Parte em seguida para oferecer o Parecer, tratando hetero e auto-hemoterapia como se fossem iguais. Para anular qualquer razão nas suas conclusões, a Câmara afirma que “No caso em tela, o sangue era coletado e reinfundido por meio de seringas; o sangue utilizado era alogênico, colhido de um parente do paciente.”. Ou seja, não se tratava de auto-hemoterapia, já que o paciente não recebia o seu próprio sangue. Mais surpreendente ainda é a afirmação de que “A bibliografia de apoio fornecida pelo médico era bastante antiga, e incluía até mesmo um extenso texto datado de 1940!”. Trata-se de um gritante desprezo às descobertas científicas e sua evolução, como se tudo que é antigo tivesse de ser ignorado.
Em seguida, a Câmara enumera buscas na literatura médica recente, argumentos específicos da sua especialidade, falando sempre em transfusão de sangue, para tirar conclusões sobre auto-hemoterapia. E conclui que “por tudo o que foi exposto, a Câmara Técnica de Hematologia e Hemoterapia do CREMERJ opina que este tipo de tratamento deveria ser proscrito, por arriscado, ilegal e por colocar em risco a saúde dos pacientes que a ele se submetem, sem que se vislumbre qualquer possível efeito benéfico”. Já mostramos que essas opiniões vieram aparentemente do nada, mas aqui aparece um termo novo: “ilegal”. Ilegal é o que contraria a lei. Qual a lei ou quais as leis que estariam sendo contrariadas pela terapia em discussão? Também não apresentaram.
Por tudo isso, precisamos ficar atentos e seguir em busca da verdade, combatendo essas deturpações grosseiras e tendenciosas. Reafirmamos que o momento é decisivo para a discussão da Auto-hemoterapia. É preciso que o Brasil inteiro tome conhecimento do que está ocorrendo. Lembramos que também o Presidente do Conselho Federal de Medicina não apresentou nenhum argumento real contra a Auto-hemoterapia. Teve um comportamento completamente vulgar e anti-ético ao atacar um colega, embora paradoxalmente estivesse exigindo comprovação científica da terapia. Precisamos dar a este momento a verdadeira dimensão que ele possui.
ARTIGO NATAL RN  

AUTOHEMOTERAPIA
08/12/2007

Auto-hemoterapia, uma questão de pesquisa
--- Walter Medeiros*
O Conselho Federal de Medicina publicou parecer sobre a prática da auto-hemoterapia, no qual mostra uma séria de dúvidas, mas reage cegamente à realidade atual. Segundo o documento, o uso da auto-hemoterapia seria uma “aventura irresponsável”, apesar de citar 91 trabalhos científicos que podem de uma forma ou outra servir de norte para o estudo e as pesquisas sobre assunto. O parecer do CFM foi dado pelo médico Munir Massud no dia 26.10.2007 e publicado em 07.12.2007, em resposta a consulta feita pela ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
Segundo a conclusão do Conselho, a auto-hemoterapia “pode ser testada com rigor” e admite que há possibilidade de teste de algumas de suas indicações. Refere-se ainda a indícios de funcionamento da auto-hemoterapia, no que chama de “casos isolados narrados com dramaticidade”. Mais do que um posicionamento técnico no âmbito das suas atribuições, o Conselho Federal de Medicina parece empenhado em ignorar todos acontecimentos em torno do assunto. Senão, vejamos:
Dizem os Estatutos daquele órgão, em seu artigo 30, inciso XIII que “O Conselho Federal de Medicina tem as seguintes atribuições:(...) realizar estudos, pesquisas, assessorias, debates e outros eventos, visando ao aperfeiçoamento do ensino e da prática médica”. Por quê não estimular o debate do assunto entre os médicos? Se não é um método terapêutico pseudocientífico, pois pode ser testada com rigor, se há possibilidades a comprovar e existem até indícios admitidos, por quê não estimular o seu teste, o seu estudo, a sua pesquisa?
A certa altura do parecer, está escrito que “é preceito científico fundamental não se considerar os resultados satisfatórios de um único trabalho científico como evidência suficiente para recomendar o seu uso disseminado.” Se não tem trabalhos em número suficiente, por quê não estimular a execução de novas experiências para comprovar ou não, deixando a porta aberta para a técnica e não sendo taxativo na sua condenação, como fazem?
Já que o Conselho diz que “tudo que existem são casos isolados narrados com dramaticidade, que pouco se prestam a provar coisa alguma perante a ciência”, por quê não transformar o que chamam de drama em universo científico? O próprio parecer já apresenta várias questões que podem ser transformadas em pesquisas científicas. Afirma o parecer:
“Muitos questionamentos poderiam ser feitos à luz das afirmações do Dr. Luiz Moura. Como um agente terapêutico que estimula o sistema imunológico pode combater doenças auto-imunes? E no caso da esclerose múltipla, da ictiose, da acne? Quantos mecanismos de ação estão envolvidos? Como é possível, no contexto em que foi apresentado, distinguir entre efeito real e efeito placebo? O aumento do número de macrófagos foi observado pelo Dr. Jésse Teixeira na vesícula produzida pela cantaridina. O mesmo ocorre no sangue periférico? Esse aumento de macrófagos indica realmente aumento da imunidade? Qual? Celular? Humoral? Ambas? Pior ainda, como distinguir efeito placebo de efeito da terapia se os casos relatados para cada enfermidade são exíguos, isolados? Por que a estimulação imunológica que pretensamente cura infecções, não piora as doenças auto-imunes?” Está aí a pauta dada pelo CFM para trabalhos científicos atualizados sobre auto-hemoterapia.
Logo no início é explicado que “Para a sua formulação, este parecer acata que a Medicina atual fundamenta seu saber em resultados de hipóteses genuinamente testadas, em resultados que se repetem, em evidência enfática”. Parece meio caminho andado para enxergar que na auto-hemoterapia aparecem evidências enfáticas, diante de milhares de depoimentos que estão sendo dados diariamente por pessoas que fazem o seu uso e tiveram ou estão tendo resultados. Não fosse a sanha de perseguir uma terapia de baixíssimo custo e ao seu divulgador, que desrespeitam e tentam, ao mesmo tempo, tirar a credibilidade da palavra de milhares de cidadãos. Claro que o processo científico procura razão, experiência e tem forte dose de ceticismo, compreendendo um processo contínuo. Mas é preciso observar que de algo serve para caracterizar um processo contínuo, o fato de a técnica estar sendo usada e comprovada há 96 anos.
Ressalte-se que para negar burocraticamente a existência de sentido na auto-hemoterapia, o parecer se refere a sua citação nos dicionários Houaiss e Vilar e que o mesmo significado é admitido no Dorland’s Illustrated Medical Dictionary e Aurélio B. H. Ferreira, estando fora do Stedman's Medical Dictionary (2000). Além do mais, discorre sobre Estudos Ligados A Tampão Sangüíneo Peridural, Auto-Hemoterapia Com Sangue Tratado Por Algum Agente Químico Ou Físico, Ozonioterapia Por Auto-Hemotransfusão, Auto-Hemoterapia Para Queimaduras Oculares, Auto-Hemoterapia Propriamente Dita, Análise Do Trabalho “Complicações Pulmonares” De Jésse Teixeira, Trabalho De Revisão Do Professor Ricardo Veronesi, Quando trata da Análise do Trabalho “Complicações Pulmonares” de Jésse Teixeira, o parecer diz que “Assim, embora o artigo viesse a revelar indícios de uma possível ação terapêutica efetiva da auto-hemoterapia, demonstrados em um trabalho de 1939, isso deveria ser motivo para a realização de ensaios clínicos cientificamente orientados que replicassem aqueles resultados e não que fosse tomado como uma demonstração inequívoca de efetividade nos dias atuais.”
O próprio Dr. Munir Massud citou 91 trabalhos científicos na área da auto-hemoterapia. Nenhum,entretanto, é suficiente para comprovar plenamente os resultados que são alegados para o seu uso. Mas também não seria tão científico concluir que se tratou de 91 aventuras através da história de tantos renomados e competentes pesquisadores. Seria hora, então, de buscar a demonstração inequívoca, para autorizar ou não a adoção da auto-hemoterapia. Ignorar que a auto-hemoterapia é uma questão da ordem do dia que precisa ser resolvida com responsabilidade institucional continua sendo tentativa de tapar o sol com a peneira.


Seu IP: 54.209.202.123 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)